A realidade sob o comunismo: Mao e o Grande Salto para a fome

O comunismo afirma que um mundo materialmente abundante e pacífico pode ser criado pela abolição da propriedade privada e permitindo à coletividade, através da mediação do Estado, planejar e dirigir todos os aspectos da sociedade segundo linhas científicas e racionais. É uma ideia utópica que sacrifica o individualismo pelo bem coletivo. Ideologicamente, é a antítese do individualismo e do libertarianismo. A história mostrou que além de trazer despotismo, fome e miséria, deixou um rastro de sangue de mais de 100 milhões de pessoas.