Artistas e Intelectuais

Por que artistas e intelectuais famosos de hoje, mesmo tendo se tornado ricos comercializando suas obras, viram a cara quando alguém diz em comercialização da arte?

Roberto Campos dizia que os artistas brasileiros eram socialistas nos dedos ou na voz, mas invariavelmente capitalistas nos bolsos.

“É divertidíssima a esquizofrenia de nossos artistas e intelectuais de esquerda: admiram o socialismo de Fidel Castro, mas adoram também três coisas que só o capitalismo sabe dar – bons cachês em moeda forte, ausência de censura e consumismo burguês. São filhos de Marx numa transa adúltera com a Coca-Cola”

A diferença dos artistas do passado para os de hoje, que no passado existia uma elite nobre, aristocrata e eclesiástica que financiava a arte e cultura. No mundo moderno, foi substituída pelo estado. O problema desses artistas, que num ambiente de livre mercado, artistas e intelectuais raramente conseguem oferecer um produto no qual os consumidores estão dispostos a pagar. E por esse motivo, buscam os seios do estado para mamar.

Há também, um grande corporativismo da classe de artistas de esquerda, que ficam com a maior parte dos seios estatal. Artistas que tendem a ter uma opinião divergente da massa artística socialista, são esquecidos no armário dos degenerados. Basta ver que os maiores beneficiários com incentivos estatais, são os artistas de renome, que são abertamente contra a classe burguese brasileira. Para eles, é mais honroso receber dinheiro via estado. Porque, o dinheiro espoliado das mãos dos empresários, se transforma em incentivos culturais quando tocados pelas mãos do estado.

Ufa! Agora posso passar minhas férias em Nova Iorque, diz o artista que recebeu grana, ao realizar um show contratado por alguma prefeitura mais perto de você.

Artistas socialistas são o que há de mais contraditório no mundo. Seus salários altos são pagos via patrocínio de grandes empresas capitalistas, mas odeiam capitalismo.

Artigos Recomendados